POLÍCIA
FALTA DE TRANSPARÊNCIA
Gerdau chama a Polícia Militar para jornalista em Barão de Cocais
13/06/2019 às 16:22:38

BARÃO DE COCAIS (MG) - O que era para ser apenas a cobertura de mais uma rodada de negociação do Acordo Coletivo (ACT) 2019/2020 entre a Gerdau e o Sindicato dos Metalúrgicos (Sindmetal) na manhã de quarta-feira dia 12 de junho de 2019, acabou virando caso de polícia. Incomodada com a presença do jornalista do Diário de Barão, a gerente de recursos humanos da empresa, Graziella Maso Nascimento, uma das responsáveis pela mesa de negociação sindical, interrompeu a reunião e chamou a Polícia Militar, na tentativa de intimidar a reportagem e impedir a divulgação dos resultados do encontro.

A presença da reportagem na reunião foi solicitada pelo presidente do Sindmetal, Lúcio Bonifácio Pastor “Lução”, que também é vereador pelo Avante. Desde a fundação do jornal, há seis anos, as reuniões dos acordos coletivos entre a Gerdau e o Sindmetal são constantemente divulgadas pelo veículo. Com a chegada da PM, um boletim de ocorrência foi registrado e a rodada de negociação, que previa o debate da implantação de ponto alternativo na Gerdau, foi cancelada pelos representantes da empresa.
O relações trabalhistas da Gerdau, Maikel Luiz Ribeiro Kirsch, também acompanhava a reunião e compactuou com a gerente que chamou a PM para o jornalista. Também foram qualificados no BO, o engenheiro de produção José Geraldo Coelho e o técnico de recursos humanos e administrador, Marcos Gonçalves.
A atitude dos representantes da empresa pegou de surpresa o jornalista Guilherme Assis. Segundo ele, ao entrar na sala de reuniões, após pedir licença e se identificar, começou a registrar a rodada de negociação como de costume. A ação do jornalista imediatamente incomodou a gerente de RH da Gerdau, que em tom de irritação impediu a cobertura e acionou a PM.
“Fomos convidados pelo presidente do Sindmetal, o senhor Lúcio Pastor, para cobrir a reunião, como sempre aconteceu desde que abrimos o jornal aqui em Barão. Entrei na sala de reuniões de forma educada e tranquila e fui recebido de forma arrogante pelos representantes da empresa. A nossa intenção desde o início era apenas cobrir a rodada de negociação e informar a população os resultados do que seria decidido, no entanto, fomos pegos de surpresa com a gerente de RH acionando a polícia, como se estivéssemos fazendo algo errado”, relatou o jornalista.

No boletim de ocorrência, o presidente do Sindmetal, Lúcio Pastor, confirmou a declaração dada pelo jornalista e disse que informou a equipe do jornal sobre a reunião desta quarta-feira (12), com a intenção de dar publicidade aos fatos que seriam debatidos no encontro. Em seu relato à PM, registrado na ocorrência, o sindicalista afirmou que o jornalista Guilherme Assis não “invadiu a sala de reunião” e que a postura da gerente de recursos humanos, Graziella Nascimento, “foi encerrar de forma abrupta a reunião”.
Fonte e fotos: Felipe Jácome - Diário de Barão





ÚLTIMAS NOTÍCIAS
METABASE ITABIRA
17/07/2019 às 18:06:10 Anglo American deverá pagar a melhor PLR da história

DOIS FERIDOS
17/07/2019 às 16:26:54 Colisão entre moto e carro em cruzamento deixa dois feridos

COLISÃO FRONTAL
17/07/2019 às 14:00:46 Motorista fica preso às ferragens ao bater VW Gol de frente com caminhão na estrada do Piçarrão

CARRETA TOMBADA
16/07/2019 às 21:18:42 Carreta com produtos químicos tomba em curva da MGC 120 e fica pendurada em barranco

RACHADINHA NA CÂMARA
16/07/2019 às 13:08:51 Justiça decreta prisão do vereador Agnaldo Enfermeiro em Itabira

KOMBI INCENDIADA
15/07/2019 às 21:55:49 Kombi dos Correios fica completamente destruída ao incendiar no Beco do Calvário

BALEADO NO CANDIDÓPOLIS
15/07/2019 às 00:37:39 Jovem de 22 anos é baleado de raspão na cabeça durante suposta briga em bar na estrada do Candidópolis









© FATOS DE MINAS 2019. Todos os Direitos Reservados. WEBMAIL
CNPJ: 30.223.105/0001/70
E-mail: contato@fatosdeminas.com.br |
Contato